Entenda a importância do controle de dívidas

O controle de dívidas tem sido uma tarefa árdua no seu negócio? Confira a importância desse gerenciamento e saiba como fazê-lo!

Uma situação que causa a recusa de crédito é quando a empresa, o sócio ou o grupo de negócios possui apontamentos de vencimentos ou prejuízos financeiros gerados pelo Bacen (Banco Central do Brasil): isso significa que em algum momento ela deixou de pagar uma conta (independentemente do valor). Esse problema é o reflexo da falta do devido controle de dívidas da empresa.

Por isso, neste post, vamos mostrar a importância desse gerenciamento e, de quebra, daremos algumas dicas para você manter essas contas a pagar sob controle. São as melhores práticas para você sair do vermelho. Então, aproveite!

Se você chegou até aqui porque sua empresa está precisando de capital de giro, refinanciamento ou expansão, conheça a Nexoos e confira as melhores taxas de juros para o seu negócio! Não precisa de garantias reais e o processo online é rápido, simples e seguro.

Clique aqui e faça uma simulação agora!

Controle de dívidas — por que é importante?

Em primeiro lugar, é bom lembrar que a gestão financeira, de contas a pagar e a receber, é indispensável para a saúde do negócio. E quando falamos de dívidas, o cuidado deve ser redobrado, pois se saírem do controle, podem virar uma bola de neve e levar a empresa à falência.

E o problema não são as dívidas em si. Elas fazem parte de qualquer negócio. Afinal, muitas empresas precisam contrair dívidas, como empréstimos e financiamentos, para investir no próprio crescimento ou no seu capital de giro.

O perigo começa quando essas dívidas não são monitoradas e gerenciadas de forma adequada. Quando não há esse controle, muitas vezes ocorre de o gestor assumir mais obrigações do que o negócio é capaz de arcar. Daí então, contas que deveriam ser pagas no mês corrente são empurradas para o mês seguinte, acumulando multas por atraso e juros. Já deu para imaginar a situação?

Por outro lado, com o bom controle de dívidas, sua empresa consegue manter as contas em dia, arcar com todos os custos operacionais e se planejar para futuros investimentos. Além disso, fica mais fácil aproveitar oportunidades para “trocar” dívidas por outras que apresentam melhores condições ou renegociar para obter descontos.

Existe também uma vantagem adicional em manter um bom controle de dívidas: um nome com um registro negativo no Bacen pode impedir que você consiga conquistar um novo crédito. Por isso, entenda como evitar esse problema com algumas dicas práticas.

Como manter o controle?

Existem algumas estratégias que o ajudarão a não somente gerenciar suas dívidas de forma adequada, mas também a garantir que o nome da sua empresa esteja sempre idôneo no mercado.

Faça um levantamento de todas as dívidas

Encarar as dívidas é o primeiro grande passo. Reúna todos os boletos e contas a pagar e calcule o tamanho das despesas que precisam ser pagas mensalmente. Assim, você saberá quando precisará ter por mês para quitá-las.

Liste-as por ordem de vencimento a fim de não se perder nas datas. Uma boa dica é registrar despesas fixas no débito automático para evitar esquecimentos no pagamento.

Esse levantamento vai ajudá-lo a ter uma visão de todo o cenário de dívidas da sua empresa e determinar quanto é preciso reunir para manter a saúde do negócio.

Consulte periodicamente o BacenJud

O BacenJud é um sistema eletrônico mantido pelo Poder Judiciário para comunicar-se com as instituições financeiras por meio do Banco Central. Por meio dele, autoridades judiciárias solicitam informações, ordens de bloqueio e transferência de valores, e consultam registros de clientes, como extratos e saldos.

Consultar o BacenJud pode ajudá-lo a verificar se há processos relacionados ao CNPJ da sua empresa, e evitar prejuízos mais sérios, como penhora online, contas bloqueadas, entre outros.

Gerencie o cheque especial

O cheque especial é um limite de crédito disponível automaticamente em sua conta-corrente que pode ser fornecido para pessoas físicas ou jurídicas. O acesso é imediato e facilitado, bastando sacar como se fosse um saldo positivo na sua conta. Os critérios e os limites dependem do contrato e da instituição bancária.

Ele foi criado para situações de urgências, utilizado para se ter um dinheiro a mais disponível em conta. Assim, após usá-lo, quando cair crédito na conta, o valor da dívida é abatido na mesma hora.

A sua maior desvantagem é altíssima taxa de juros. Quem usa esse crédito precisa arcar com esse acréscimo, que pode virar uma bola de neve, pois há a possibilidade de acúmulo da dívida, podendo até triplicar em menos de um ano. Além disso, incide sobre ele o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) em cada saque que você fizer do recurso.

Algumas empresas caem no cheque especial sem nem mesmo perceber. Pagamentos e débitos automáticos sem ter dinheiro suficiente na conta podem fazer o crédito ser utilizado, sem a necessidade de uma autorização prévia. Por isso, é indispensável monitorar essa dívida.

Assim, para evitar tais situações, tente:

  • fazer um orçamento financeiro para detalhar quanto sua empresa gasta por mês e garantir que haverá dinheiro suficiente em conta para abater os débitos;
  • reduzir os gastos desnecessários;
  • renegociar o cheque especial para evitar o acúmulo de juros e o consequente crescimento da dívida;
  • avaliar se é vantajoso trocar a dívida do cheque especial por outra com juros menores, mas antes informe-se com o gerente sobre todo o valor que está envolvido no abatimento do débito;
  • lembrar-se de que o cheque especial é somente para situações muito emergenciais e para ser usado a curto prazo;
  • considerar cancelar o cheque especial.

Separe gastos pessoais e orçamento da empresa

Pode parecer uma dica simplória. Realmente é, mas existem muitos empreendedores que caem nessa armadilha. Em situações assim, as dívidas pessoais se confundem com as despesas do negócio, e problemas da empresa acabam sendo mascarados.

Assim, não use o dinheiro pessoal para baixar o negócio, nem use o caixa da empresa para arcar com contas pessoais.

Tente fazer a transposição das dívidas

Suas dívidas podem estar espalhadas em diferentes instituições financeiras. Você pode negociar com uma delas para realizar o pagamento das demais e reunir tudo em um só credor por meio da portabilidade de crédito. Mas certifique-se de que as taxas de juros oferecidas são realmente vantajosas. A ideia é desafogar e simplificar o controle de dívidas, e não acrescentar mais um peso.

O controle de dívidas não é uma tarefa fácil. Exige muita determinação, inteligência estratégica e planejamento. Por isso, procure manter tudo registrado e crie um orçamento financeiro detalhado para garantir que tudo ficará nos eixos.

As dívidas podem ser um entrave para sua empresa, mas existem outros obstáculos. Confira agora nosso post sobre alguns problemas que podem impedir sua empresa de crescer!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *