Inadimplência: tudo o que o investidor precisa saber

Inadimplência na Nexoos: Tudo o que o Investidor Precisa Saber

Por ser uma modalidade ainda pouco difundida no Brasil, o investimento através de títulos de divida privada, que é a classe de investimentos que a Nexoos oferece, gera muitas dúvidas nos investidores. Nesse artigo vamos explorar a fundo a temática da inadimplência das empresas que recebem os investimentos. Vamos descobrir qual é a probabilidade estimada de uma empresa ficar inadimplente, quais as garantias que o investidor possui, o que motiva a empresa a não ficar inadimplente, e todo o processo que é aplicado pela Nexoos em caso de inadimplência.

O artigo está dividido em subtítulos, por isso se você tem alguma dúvida específica procure pelo subtítulo mais adequado.

Definição de Inadimplência para a Nexoos

A Nexoos trata como inadimplentes todas as empresas que vierem a atrasar seus pagamentos em 60 dias ou mais. 

Em caso de atraso de 60 dias ou menos, há ocorrência de multa de 2% do valor em atraso + juros de mora de 1% ao mês (0,034% ao dia).

Por exemplo:
Suponhamos uma parcela mensal de R$10.000,00 para a empresa. No caso de atraso de 7 dias, o montante a ser pago seria:

R$10.000,00 + R$200,00 (2% do atrasado) + R$23,80 (0,034% vezes 7 dias)  = R$10.223,80.

Os investidores receberão as parcelas em atraso com o ajuste mencionado acima.

Probabilidade de Inadimplência

Esta temática já foi abordada no artigo sobre riscos do investimento. O resumo da obra é que a estimativa de inadimplência feita pela Nexoos é que  4,5% das empresas tornem-se inadimplentes em um cenário realista (média nacional para o segmento PMEs). Em um cenário pessimista seriam 6,5% das empresas, e em um cenário muito pessimista seriam cerca de 10%. Para entender de onde vêm esses números, leia o artigo citado.

Até o momento de revisão desse artigo (Junho de 2017), a Nexoos possui 4 das 92 empresas (4,3%) que já financiou em estado de inadimplência maior de 60 dias. Duas das empresas inadimplentes são da faixa de risco C, que é a faixa de maior risco, e as outras duas, na faixa de risco B.

Antes de entender qual a motivação das empresas em não ficar inadimplente, é importante entender como funcionam os trâmites de inadimplência no Brasil atualmente.

Entendendo Dívidas de Empresas com Bancos e com Outras Empresas

Quando uma empresa não paga ou atrasa um empréstimo feito no Banco, isso fica automaticamente registrado no sistema do Banco Central. Qualquer instituição financeira que fornece crédito saberá disso caso cheque esse histórico. Esse histórico é conhecido como Sistema de Informaçãode Crédito, SCR-BACEN, e todas as instituições financeiras checam esse registro quando uma empresa solicita um empréstimo (lembrando que a checagem nesse sistema só é possível com a autorização da empresa que está sendo checada). A própria Nexoos, através de sua instuição financeira parceira, faz essa checagem antes de aprovar uma empresa solicitante.

Quando uma empresa tem uma dívida em aberto com outra empresa, a empresa credora pode “protestar” essa empresa, registrando esse protesto nos bureaus de crédito (SERASA, SPC, etc). Todas as instituições financeiras também checam esse registros de crédito, a fim de avaliar se a empresa solicitante cumpre adequadamente seus compromissos de dívida. A Nexoos faz essa checagem diretamente nos bureaus durante o processo de análise de crédito da empresa solicitante.

Geralmente, quando uma empresa possui apontamentos (registros de dívidas não pagas) no sistema do BACEN ou nos bureaus de crédito, essa empresa dificilmente consegue adquirir crédito. Se conseguir, será à uma taxa muito alta, pois os bancos vêem esse empréstimo como uma operação de alto risco. Até a data de redação deste artigo (setembro 2016) a Nexoos não aprova nenhuma empresa que possui qualquer tipo de apontamento.

Motivação da Empresa Solicitante na Nexoos em não ficar Inadimplente

Caso a empresa venha a se tornar inadimplente, além de constar no SCR-BACEN, essa inadimplência vai constar nos bureaus de crédito como dívida não paga com a financeira parceira da Nexoos, a Socinal. Uma dívida em aberto com uma instituição financeira é fatalmente danosa para o histórico e rating de crédito dessa empresa, que muito provavelmente não terá mais acesso a crédito no Brasil enquanto não quitar essa dívida.

Sem chance de obter capital de giro ou para expansão, a grande maioria das empresas perde robustez e não consegue ultrapassar eventuais períodos difíceis. Essas empresas tendem a fracassar no mercado e declarar falência.

É crucial para o investidor entender essa grave consequência para a empresa. Esta é uma grande motivação para que a mesma não se torne inadimplente.

Mas e se mesmo assim a empresa ficar inadimplente, o que acontece?

Em caso de inadimplência, a empresa entra no SCR e bureaus de crédito, arruinando sua possibilidade de obter crédito no futuro. Já ao atrasar a parcela, a Nexoos inicia o processo de cobrança, que contempla ligações telefônicas, SMS para os Sócios, e emails para os sócios e a empresa. Após 60 dias de atraso a empresa é considerada formalmente inadimplente. Nesse ponto a dívida sai da custódia da financeira e passa diretamente para os investidores, que podem acionar a empresa e os sócios judicialmente para reaver o dinheiro.

A Nexoos continua oferecendo assessoria de cobrança gratuita para os investidores, e nesse momento passa também a oferecer assessoria jurídica através de um escritório de advocacia parceiro. Esse escritório abre então uma ação conjunta em nome dos investidores contra a empresa e seus avalistas.

O escritório também se encarrega de minúcias como contratação de um representante na praça jurídica do devedor, entre outros. Ao obter sucesso em recuperar o crédito, o escritório será remunerado com um percentual acordado (geralmente entre 10% e 20%) do valor recuperado.

 

Porque a dívida sai da custódia da Financeira após 60 dias?

A Nexoos trabalha com operação ativa circulada para realizar os empréstimos coletivos. A dívida da empresa solicitante se torna um CCB (Célula de Crédito Bancário) que é vinculado aos RDBs (Recibos de Depósitos Bancários) dos investidores. Para entender mais sobre títulos financeiros como RDBs, leia esse breve artigo do governo brasileiro.

Esses papéis possuem um rating (nota de risco), que é dado pela Nexoos após a análise de crédito da empresa solicitante. Esse rating da Nexoos recebe o aval da financeira, que o aplica nos papéis. Ao entrar em inadimplência, o Banco Central obriga a financeira a rebaixar o rating do papéis, o que por sua vez obriga a financeira a aumentar o valor provisionado em seu caixa. Após 60 dias qualquer papel é obrigado a ter um rating D ou pior, fazendo com que a financeira tivesse que provisionar (imobilizar em seu caixa) um valor muito alto (10% do valor total) e tornando a operação inviável.

Para detalhes sobre provisionamento, leia a Resolução Nº 2682 do Banco Central do Brasil.

O que é esse provisionamento da financeira? O que isso impacta no investidor da Nexoos?

O provisionamento é como se fosse uma pequena poupança emergencial que toda instituição financeira faz para evitar problemas caso uma dívida não seja paga.

Vamos supor que um banco X emprestou R$1milhão para 100 empresas diferentes, totalizando R$100 milhões.

Se todas essas 100 operações tivessem um rating A pelo Banco Central, o banco X teria que fazer um provisionamento de 0,5% (R$500 mil) do valor. Esse é um dinheiro que fica parado no banco X, retido para suprir as eventuais empresas que não pagarão o empréstimo.

Se as operações fossem rating D ao invés de A, o banco teria que manter 10% (R$10milhões) provisionados. Se o banco não tiver esses R$10 milhões em caixa, ele não pode realizar essas operações, pois não tem o provisionamento necessário.

Esse é o problema do atraso em questão. O Banco Central obriga as instituições a abaixarem o rating das operações em caso de inadimplência, e a cada rating abaixado, a instituição deve provisionar mais dinheiro em seu caixa, até um ponto em que não possue mais caixa e não consegue segurar a operação.

Para o investidor Nexoos isso não tem impacto direto inicialmente, o que acontece é que após 60 dias de atraso de uma empresa a financeira não segura mais a operação e cabe aos investidores acionar a empresa para receber diretamente o dinheiro. Trabalhamos para que esse caso nunca ocorra, mas caso ocorra o aval dos sócios serve para que os mesmos sejam acionados diretamente para pagar os investidores. Por essa razão a Nexoos analisa se os avalistas possuem respaldo patrimonial antes de aprovar o empréstimo.

Em caso de inadimplência, o investimento é coberto pelo FGC?

A cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) é apenas para casos de insolvência da instituição financeira parceira da Nexoos, a Socinal.

O FGC não cobre casos de inadimplência da empresa tomadora do crédito. Esse é o conceito do “peer-to-peer lending”, o investidor recebe um retorno maior exatamente por estar com o risco de crédito da operação e por esse motivo é muito importante a diversificação da carteira e o entendimento do rígido processo de análise de crédito na Nexoos.

Quais garantias o investidor possui em caso de inadimplência?

Na Nexoos as empresas não apresentam garantia real (imóvel, veículo, equipamentos, etc.) para obter os empréstimos, porém todos os empréstimos possuem a garantia do aval dos sócios. Isso significa que em caso de inadimplência, a dívida fica atrelada aos sócios avalistas. Mesmo que a empresa venha a decretar falência, essa dívida em específico continua atrelada aos sócios por tempo indeterminado.

Para manter um ambiente seguro para os investidores, a Nexoos faz uma análise de crédito muito rígida, de forma que qualquer empresa publicada passou por requisitos mínimos e possui um rating associado.  É uma nova classe de investimentos com relação risco-retorno muito interessante, que antes apenas os bancos e grandes instituições tinham acesso e agora a Nexoos permitirá que qualquer pessoa possa usufruir.

Considerações Finais

A Nexoos está muito atenta e comprometida com o sucesso de seus clientes, sejam eles empresas ou investidores. Para que esse sucesso faça parte do nosso dia-a-dia, é essencial manter a transparência sobre o processo e responder todas as dúvidas com clareza. O objetivo dos empréstimos coletivos é trazer uma relação de benefícios mútuos para fomentar a economia nacional.

Você conseguiu sanar todas as suas dúvidas sobre inadimplência? Além desse artigo recomendamos também a leitura do artigo sobre riscos do investimentos, pois está muito conectado a este tema.

Esperamos que esse artigo seja esclarecedor para investidores e solicitantes, ajudando a retratar o cuidado da Nexoos com ambos. Coloque seus comentários abaixo e nos diga o que achou!

2 comentários em “Inadimplência na Nexoos: Tudo o que o Investidor Precisa Saber”

  1. Boa tarde!
    Vocês poderiam atualizar os dados de inadimplência regularmente, né? E separar a inadimplência de acordo com os ratings fornecidos aos empréstimos. Ajudaria bastante os investidores.
    Obrigada!

    1. Gabriela Campaner

      Olá, Renata!Tudo bem contigo?

      Primeiramente, agradecemos pelo seu feedback.

      A Nexoos está crescendo e é sempre importante ouvir e conhecer a opinião dos nossos Investidores/Empresas. O nosso Time já está analisando essa possibilidade de implementar um relatório na plataforma. Enquanto isso, sempre que precisar desses dados, pode nos encaminhar um e-mail (para [email protected]) e batemos um papo sobre esse assunto 😉

      Qualquer dúvida estamos à disposição! Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima