Sofrendo para pagar o 13º salário? Veja algumas alternativas!

É comum que as empresas cheguem ao final do ano e não tenham recursos suficientes para pagar o 13º salário dos seus funcionários. Com isso, elas têm que recorrer a algumas alternativas para que possam cumprir com as suas obrigações e, assim, evitar problemas com o Ministério do Trabalho e Emprego.

Se você quer saber como é feito o cálculo desse benefício e que alternativas são essas, continue a leitura deste post!

O que é o 13º salário?

A gratificação de Natal, também conhecida como 13º salário, foi instituída pela Lei nº 4.090 de 13 de julho de 1962 e corresponde ao pagamento de um salário adicional ao trabalhador no final de cada ano.

Tanto os servidores públicos quanto os trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) têm direito a receber esse benefício, que pode ser pago em até duas parcelas.

Quem tem direito a receber?

Todo o trabalhador urbano ou rural, doméstico e avulso tem direito a receber esse benefício, desde que tenha trabalhado durante um período igual ou superior a quinze dias.

Também têm direito a receber o 13º salário, os trabalhadores afastados por auxílio-doença decorrente de acidente de trabalho, o empregado demitido sem justa causa e os aposentados e pensionistas que recebem o benefício por meio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Cabe destacar, que o trabalhador que ainda não completou um ano de empresa também tem direito a receber esse salário extra, mas o seu valor é proporcional ao seu tempo de trabalho na organização.

Como é feito o cálculo?

O valor do 13º salário varia de acordo com o tempo de trabalho do funcionário na empresa. Se um empregado trabalhou durante um ano inteiro, ele tem direito a receber um salário integral no final do ano. Entretanto, se ele começou a trabalhar apenas no meio do ano, o valor do benefício deve ser calculado de forma proporcional, por meio da seguinte fórmula:

  • 13º salário = (valor do salário / 12) x quantidade de meses trabalhados

Por exemplo: suponha que um funcionário da sua empresa tenha sido contratado no mês de maio e receba um salário equivalente a R$3.000,00. Logo, o valor do seu benefício será:

  • 13º salário = (3.000 / 12) x 5 = R$ 1.250,00

Quais as alternativas disponíveis ao empregador para fazer o pagamento desse benefício?

Se o final do ano se aproxima e a sua empresa não tem dinheiro em caixa para fazer o pagamento do 13º salário dos seus funcionários, não se preocupe! Existem no mercado algumas alternativas disponíveis para que você possa honrar com as suas obrigações, como as seguintes:

Autofinanciamento

Essa alternativa ocorre quando você utiliza recursos próprios para efetuar o pagamento do 13º salário dos seus funcionários. Essa opção nem sempre é a mais viável, pois pode prejudicar as suas contas pessoais.

Financiamentos

Essa é uma das alternativas mais adequadas, já que não compromete os seus recursos pessoais e permite que as parcelas sejam pagas com os lucros futuros da empresa. Nesse aspecto, a Nexoos se destaca como uma excelente opção para o pagamento do 13º salário dos seus colaboradores, já que trabalha com taxas de juros atrativas que variam entre 1,28% e 3,28% a.m.

Como você pode perceber, existem alternativas viáveis para que as empresas possam cumprir com as suas obrigações legais. Portanto, avalie qual a melhor opção para o seu negócio e, ao decidir recorrer aos empréstimos, não deixe de pesquisar as taxas cobradas pela instituição financeira para evitar qualquer surpresa no futuro.

Gostou deste post? Entendeu o que é o 13º salário, como é feito o seu cálculo e quais alternativas recorrer para cumprir com as suas obrigações? Se você quer saber mais sobre o assunto, assine a nossa newsletter e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima