Digitalize o crédito para sua empresa. Simule com a Nexoos!
Empresas

Capital próprio ou capital de terceiros: qual é a melhor opção?

Investir capital próprio ou apostar em capital de terceiros? Essa é a pergunta que ronda a cabeça de qualquer empresário.

Para responder com segurança, é preciso três coisas: entender o que significa cada modelo, comparar as duas opções e escolher a que se adéqua mais ao perfil da sua empresa. Neste artigo, nós te ajudamos com cada um desses itens:

Entendendo a diferença entre os capitais

Grande parte do problema administrativo em muitas empresas vem da dificuldade de alguns empresários entenderem a diferença entre o capital próprio e o de terceiros, e quais são os custos de cada um desses modelos. Por isso é sempre bom começar reforçando a diferença entre eles:

  • Capital próprio: é aquele que sai do bolso do próprio empresário, acionistas ou do lucro da empresa. É o dinheiro diretamente relacionado ao patrimônio líquido e não precisa ser devolvido.
  • Capital de terceiros: é o dinheiro que entra na empresa por meio de recursos de entidades externas, principalmente advindo de empréstimos. Esse valor está relacionado ao passivo real do negócio e precisa ser devolvido em conformidade com o contrato de crédito assinado.

 

 

Comparando os modelos em relação ao seu custo

Quando falamos em custo de capital, imediatamente a resposta mais comum é: um empréstimo sai mais caro do que usar dinheiro próprio. Mas essa não é a verdade na maioria dos casos.

Mesmo que um crédito implique em juros, o capital próprio é mais escasso e gera mais riscos, o que pode custar caro a longo prazo. Veja algumas outras diferenças entre os dois modelos para você decidir o melhor para o perfil da sua empresa:

Dinheiro em caixa

Não há dúvidas de que o capital próprio permite à empresa ter mais dinheiro em caixa, já que você não precisa usar esse montante para pagar empréstimos com mais juros.

Mas, por outro lado, o capital de terceiros garante um fluxo mais estável. A injeção de dinheiro independentemente da performance ajuda o empresário a se manter longe das grandes variações, principalmente em momentos de crise.

Previsibilidade

Dessa mesma forma, o capital de terceiros torna o negócio mais previsível, o que contribui para um planejamento de crescimento mais acertado do futuro.

Quando se gerencia uma empresa apenas com capital próprio, uma estratégia de crescimento de meses pode ser jogada fora por apenas um mês ruim. Empréstimos fornecem mais ferramentas para uma visão de mercado e posicionamento de marca.

Conflitos e distribuição de lucros

O maior problema do capital próprio é ter que contar com a injeção de dinheiro por sócios ou acionistas, que terão, por padrão, voz na administração e parte dos lucros da empresa. A curto prazo, essa é uma solução eficiente — o negócio ganha um montante considerável sem precisar retornar.

Mas, a longo prazo, na medida em que a empresa cresce e se torna mais complexa, a própria divisão de lucros pode ser uma fonte de conflitos e te obrigar a pagar mais do que gastaria em um empréstimo. Com o capital de terceiros, você está livre dessa responsabilidade administrativa.

Principais vantagens do capital próprio

Ambas as modalidades de capital têm suas próprias vantagens. É possível que utilizar somente capital próprio seja suficiente para saciar as necessidades de uma entidade. Confira as vantagens garantidas por essa opção:

Investimentos sem acúmulo de dívidas

Todo dinheiro adquirido de terceiros deverá ser devolvido, normalmente o pagamento se dará a longo prazo. Entretanto, poderá haver ocasiões em que a mesma empresa solicitará diversos empréstimos a diferentes entidades.

Aumentar o volume de compromissos se refletirá em um acúmulo de dívidas a longo prazo, o que não acontecerá com o capital próprio. Ressalta-se que esse acontecimento pode ser evitado com uma gestão organizada e inteligente.

Tempo maior para investir

O capital próprio é livre de manejo pelo administrador: você poderá fazer planejamentos a longuíssimos prazos, acima de 10 anos, por exemplo. O tempo necessário para investimentos dependerá da quantia que será reservada para os projetos. Por essa razão, determinados objetivos somente serão planejados desse modo.

Diminuição da pressão sobre o retorno do investimento

Quando você investe capital em um projeto, espera-se que haja retorno sobre o investimento em um determinado tempo. Ao obter capital de terceiros, você assume compromisso de realizar o pagamento, sob pena de sanções ou até decretação de falência dos credores.

O capital próprio evita esse tipo de conflito, pois os prejuízos gerarão reflexos internamente na companhia, reduzindo a pressão do retorno financeiro.

Mais tranquilidade

Tempo adicional, minimização de dívidas e diminuição da pressão para gerar lucros gerarão tranquilidade para os administradores. Os riscos assumidos são menores e o faturamento será mais conciso, apesar de a possibilidade de crescimento ser reduzida.

Benefícios ao optar pelo capital de terceiros

As vantagens dessa opção são direcionadas aos gestores visionários, idealistas e qualificados, que possuem maior conhecimento do mercado e têm confiança na gestão de seu negócio eficientemente. Entenda por quais razões o capital de terceiros beneficiará esses indivíduos.

Aproveitar uma oportunidade de mercado

Constantemente o mercado sofre mutações, elementos da economia do país, como a inflação e juros, se alteram, o gosto dos consumidores muda frequentemente e surgem novas tecnologias. Também é possível se deparar com uma oportunidade única de aquisição de bens ou exploração de um mercado em potencial.

Tudo isso consiste em instantes que multiplicam a lucratividade do negócio. Somente obtendo capital de terceiros você poderá aproveitar essas oportunidades e desenvolver rapidamente seu empreendimento.

Ter capital no momento que precisa

Seja para aproveitar oportunidades, quitar dívidas prestes a vencer, manter a produtividade da empresa em um momento de crise ou outros momentos emergenciais, o capital de terceiros manterá o negócio operando sem sofrer paralisações ou reduções no faturamento.

Poder aumentar a lucratividade e a expansão do negócio

Empréstimo não é sinônimo de perda! Se o negócio pode ter um excelente retorno sobre o investimento, não há razões para recusá-lo. O capital extra permite a expansão do negócio, abrindo novas filiais e franquias. Ao quitar a dívida, seu empreendimento será mais lucrativo do que antes.

Juros são menos prejudiciais do que você imagina

Se os negócios estiverem conforme o planejado, a empresa poderá pagar ao credor o valor contratado com juros, deixando os valores excedentes com o acionista.

Além disso, nossa legislação permite deduzir os juros oriundos de financiamentos com destinação predefinida da base de cálculo no Imposto de Renda para Pessoas Jurídicas – IRPJ e Contribuição Social sobre Lucro Líquidos – CSLL.

Maior controle

Para conseguir mais capital próprio, você deve buscar formas de atrair investidores. Porém, eles também podem adquirir poder de decisão no negócio, fazendo com que você tenha que consultá-los antes de tomar suas decisões.

Com o capital de terceiros, você manterá o controle sobre sua empresa, podendo realizar todos os projetos necessários para fazê-la se desenvolver.

Previsibilidade

Ao fazer um empréstimo, você possui total conhecimento da quantia a ser paga, o orçamento será mais preciso e planejado. Com essa informação, seu negócio poderá manejar melhor suas contas, sem restringir seus gastos além do necessário.

A escolha entre capital próprio e capital de terceiros dependerá do perfil da sua empresa. Determine seus objetivos, planeje seu crescimento e faça a opção que for mais benéfica ao desenvolvimento do negócio.

Uma boa plataforma de empréstimos deve ser organizada, pouco burocrática, experiente e possuir baixas taxas. Entre em contato conosco e confira como obter capital com uma empresa com todas essas características!

 

Simule seu crédito
Share This