Finanças da empresa

Finanças da empresa: 6 passos importantes para colocar o negócio em ordem!

De acordo com um levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 77% dos empresários autônomos nunca fizeram um curso para lidar com as finanças da empresa e 50% não sabem se têm lucro ou prejuízo.

Por isso, a falta de conhecimento está no topo da lista dos insucessos das organizações. Isso porque muitos empreendedores não têm conhecimento sobre conceitos importantes que podem garantir o crescimento de um negócio.

Esses dados indicam a importância de manter as finanças da companhia organizadas, assim como as informações e o desempenho de todos os setores. Com uma boa gestão financeira, é possível tomar decisões melhores em relação a investimentos e ter tempo para contornar os imprevistos que aparecerem no orçamento.

Para ajudá-lo nessa jornada, reunimos seis dicas que podem ser aplicadas a qualquer empreendimento. Acompanhe!

1. Analise gastos e recebimentos

O primeiro passo para ter conhecimento sobre as finanças da empresa e manter as informações organizadas é conhecer e analisar seus gastos e seus recebimentos. Isso permite saber se ela tem lucro ou prejuízo e como vai o fluxo de caixa.

Toda organização quer evitar prejuízos. Por isso, é fundamental fazer um levantamento de tudo o que deve ser pago e recebido. A desorganização é o caminho mais fácil para que a empresa gaste mais do que pode.

Então, anote todos os custos e as despesas da companhia — como as contas de energia, água, fornecedores, telefone, internet e outras — e os valores que devem entrar no caixa em um determinado período.

Esse processo permite que se controlem melhor os clientes inadimplentes. Isso porque, dessa forma, é possível saber o que não foi pago e, assim, negociar os pagamentos, bem como identificar setores e atividades que têm desperdício de recursos.

Além disso, ter controle sobre os gastos mostra quais departamentos consomem mais recursos do que deveriam. A partir desses dados é mais fácil implementar uma estratégia de redução de custos.

2. Discuta o demonstrativo de resultados

Existem ferramentas que auxiliam as tomadas de decisão por meio da análise de resultados. Um exemplo é o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE), que mostra o desempenho econômico da organização em um determinado período.

O estudo dos dados do DRE deve considerar as receitas, os custos, as despesas e os valores de atividades não operacionais. A discussão desses resultados permite ter um panorama da saúde da companhia, ao demonstrar se ela tem lucro ou prejuízo. Para fazer o DRE, é importante avaliar:

  • deduções e abatimentos;
  • lucro bruto;
  • despesas com vendas;
  • despesas administrativas;
  • despesas financeiras;
  • receita líquida;
  • provisões para Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • custos de mercadorias vendidas (CMV);
  • resultado líquido.

O resultado líquido é o valor que se encontra ao fim do balanço. Quanto mais amplas e completas forem as informações, mais estratégica e real será a visão sobre a situação da organização.

3. Preveja os riscos

Não se pode impedir que haja riscos ou imprevistos financeiros, mas é possível e importante prevê-los. Assim, fica mais fácil se preparar para eles e impedir que causem muitos impactos negativos.

Para isso, é importante adotar estratégias e métodos de gerenciamento. Entre eles, criar uma reserva de emergência, não gastar mais do que tem em caixa, saber quais contas devem ser pagas mensalmente e separar as finanças do empreendimento das pessoais, por exemplo.

Um fundo de emergência é um montante que deve ser reservado exclusivamente para eventualidades. O ideal é fazer um investimento de baixo risco e alta liquidez para que, além de o dinheiro render, ele possa ser sacado a qualquer momento, pois os imprevistos não avisam quando vão chegar.

4. Treine os funcionários

Grande parte do funcionamento da empresa se deve aos profissionais. Então, se eles são bem treinados e estão alinhados quanto aos processos e às estratégias da companhia, há mais chances de que tudo flua adequadamente.

Porém, o inverso também acontece. Se os colaboradores não entendem sobre os produtos ou serviços da empresa e não sabem como resolver problemas operacionais, podem haver prejuízos e perda de clientes.

É fundamental, portanto, conhecer as necessidades de cada setor para desenvolver treinamentos eficazes. Depois disso, deve-se treinar os profissionais constantemente, oferecer capacitações e qualificações práticas, estimular o trabalho em equipe e estar aberto a novas ideias e estratégias.

Isso melhora os resultados da organização, já que aumenta a produtividade, e ainda proporciona um melhor ambiente de trabalho — afinal, faz que a equipe se sinta mais valorizada.

5. Reveja o planejamento financeiro

O planejamento financeiro deve estar de acordo com a realidade, condição e situação do empreendimento. A situação econômica, o fluxo de caixa e os resultados da organização podem mudar constantemente.

Dessa maneira, é necessário sempre rever e atualizar as informações financeiras e as previsões do orçamento, de modo que seja possível operar de acordo com a real situação e para que as estratégias estejam alinhadas ao atual cenário do mercado.

No entanto, isso requer informações atualizadas, bem como acompanhamento diário, controle dos gastos e revisão periódica sobre os projetos e indicadores da empresa. Só assim, é possível garantir que haja sustentabilidade econômica.

6. Fique atento às novidades

Inovações tecnológicas, novos processos e meios de negociação são aliados importantes das finanças da companhia e, consequentemente, de seu sucesso. Empreendimentos com modelos arcaicos podem ficar para trás, pois o mercado tem exigido proatividade e rapidez.

Então, o ideal é manter-se atento às novidades, assim como às novas maneiras de investir e de captar recursos para o empreendimento. Isso é um diferencial importante para ficar à frente da concorrência. Afinal, as finanças da empresa influenciam diretamente seu andamento e sua saúde.

Assim, se elas vão bem, as contas são pagas, o caixa funciona adequadamente e há recursos para apostar em melhorias. Se, por outro lado, o orçamento vai mal, as chances de falência são reais. Então, aposte na definição de processos, na análise de resultados e na qualificação de funcionários para ter uma gestão mais eficiente.

Precisa impulsionar seu negócio? Descubra como um empréstimo com garantia pode ser a solução!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *