Plataforma peer to peer: o que é e como funciona o empréstimo coletivo

A tomada de empréstimo junto a instituições financeiras, como os bancos, é bastante burocrática e dispendiosa. Além de exigir uma série de documentos para comprovar a capacidade de pagamento do cliente, a demora para a análise e a aprovação da solicitação pode ocasionar vários prejuízos ao solicitante, como a perda de uma oportunidade de investimento ou da  renegociação de uma dívida.

Em contraposição a esse modelo ultrapassado, adotado pelas instituições financeiras, surgiu a plataforma peer to peer para revolucionar o mercado de crédito. Quer saber mais sobre essa plataforma? Confira o post que preparamos para você!

Empréstimos em instituições financeiras: um modelo que precisa ser superado

Os custos dos empréstimos são altamente proibitivos no Brasil. Tal fato é decorrente dos elevados spreads bancários, que correspondem à diferença entre a taxa de juros do empréstimo e a da captação de depósitos.

Para exemplificar, a atuação dos bancos funciona da seguinte forma: quando você deposita um determinado valor na sua poupança, esse montante fica disponível para o banco. Um dos possíveis usos desse capital é o atendimento da demanda por empréstimos.

Assim, enquanto o banco paga para você aproximadamente 4,55% ao ano pela sua aplicação – equivalente a 70% da Selic somada à Taxa Referencial (TR), ele cobra juros bastante elevados ao tomador de empréstimos, que muitas vezes são superiores a 10% ao ano. A diferença entre esses percentuais é o chamado spread bancário, ou seja, o custo da intermediação.

Peer-To-Peer Lending: uma alternativa ao mercado de crédito tradicional

Peer-To-Peer (P2P) Lending (empréstimo coletivo) corresponde a uma modelo de economia colaborativa, que possibilita o encontro entre os investidores e os tomadores de crédito. Tal interação ocorre por meio de plataformas digitais, sem a necessidade, portanto, da intermediação de bancos.

Qual a sua origem?

Sua origem remonta a 2005, no Reino Unido, na empresa Zopa, mas se difundiu apenas a partir da crise financeira de 2008. No Brasil, esse modelo vem se expandindo gradativamente e, atualmente, os Estados Unidos são o maior mercado de P2P Lending do mundo.

Quais são as suas características?

As principais características do P2P Lending são:

  • as transações são realizadas online;
  • os credores escolhem em quais mutuários investir – aqueles que recebem o empréstimo;
  • a intermediação ocorre por meio de uma empresa de empréstimo peer to peer;
  • os empréstimos funcionam como títulos e, por isso, podem ser vendidos a outros credores;
  • os empréstimos não estão protegidos por nenhum tipo de seguro do governo;
  • não é necessário que as partes envolvidas no processo tenham qualquer relação prévia.

Quais são as suas vantagens?

São várias as vantagens do P2P Lending, das quais podemos citar:

  • diminuição da burocracia – o processo de análise de crédito é realizado completamente de forma online. Todos os documentos necessários são preenchidos digitalmente e enviados diretamente pela plataforma;
  • aumenta a rapidez – por ser um processo totalmente online, as operações são realizadas com maior rapidez e eficiência;
  • aumento da conveniência – por ser um processo realizado via internet, não há a necessidade do deslocamento até um local físico, o que reduz consideravelmente o tempo gasto com a transação;
  • redução dos juros para o tomador de crédito – por não estarem sujeitos aos elevados spreads bancários, os custos de toda a operação são menores, o que torna a opção mais vantajosa para o tomador de empréstimo;
  • melhoria na taxa de inadimplência – a análise de crédito completa e segura, associada à redução dos custos envolvidos na operação, resulta na redução da taxa de inadimplência;
  • aumento da rentabilidade do investidor – o P2P Lending possui taxas atrativas de remuneração, o que o torna uma excelente opção de investimento.

Quais são os seus riscos?

Um dos maiores riscos do investimento em peer to peer lending é a inadimplência. Por isso, é de extrema importância que se faça uma análise criteriosa daqueles que irão compor a plataforma, com o objetivo de minimizar os riscos com as transações.

Na Nexoos, em caso de atraso por parte do tomador de empréstimo, durante um período igual ou superior a 60 dias, ocorre a incidênca de multa de 2% do valor que está atrasado, somado aos juros de mora equivalentes a 1% ao mês ou 0,034% ao dia.

Quem pode participar?

Podem participar da plataforma peer to peer tanto aqueles que buscam a captação de recursos, como empreendedores ou pessoas físicas, que buscam crédito para diversas finalidades, quanto aqueles que buscam rentabilidade para os seus investimentos, que, no caso, são os investidores.

Como participar?

Cada empresa possui critérios próprios para a participação na plataforma, como a exigência de determinados documentos, de um valor mínimo de capital, entre outros. Na Nexoos, se você pretende ser investidor, você deve seguir os seguintes passos:

  • faça o registro como investidor;
  • analise as opções de investimento – as rodadas acontecem toda segunda-feira às 22h na Nexoos;
  • registre a proposta de investimento – o investimento mínimo inicial é de 6 mil reais;
  • assine o contrato de investimento;
  • transfira o dinheiro;
  • receba o dinheiro mensalmente com os juros acordados na operação.

Já, se você é uma empresa em busca de financiamento, seu passo a passo deve ser:

  • faça o registro na plataforma;
  • solicite o crédito, mas antes verifique se sua empresa atende os pré requisitos da Nexoos (faturamento anual acima de 200 mil reais, empresa com mais de 1 ano e não pode ser MEI);
  • ao ser aprovado, o crédito solicitado será financiado por investidores;
  • assine o contrato digitalmente;
  • receba o dinheiro na conta em até 7 dias;
  • pague as parcelas no valor acordado mensalmente.

Assim, as tecnologias têm possibilitado novos modelos de negociação no mercado de crédito, que se caracterizam por serem menos burocráticos e, portanto, mais ágeis, práticos, seguros e com menores custos associados, principalmente quando comparados com os cobrados pelas instituições financeiras.

Tais modelos facilitam a tomada de empréstimos por pessoas físicas ou jurídicas, o que impulsiona o crescimento econômico do país, seja pela redução na taxa de inadimplência ou pela viabilidade da expansão das atividades de empresas tomadoras de empréstimos, por exemplo.

Por outro lado, ao possibilitar rendimentos melhores para os investidores, se configuram como uma excelente alternativa de investimentos.

Aprendeu como funciona a plataforma peer to peer? Quer entender melhor sobre como esse modelo surgiu para revolucionar o mercado de crédito? Quer ser um investidor ou está precisando de um empréstimo? Entre em contato conosco que iremos auxiliar você nessa jornada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *